sábado, 11 de junho de 2016

Restos de ancestrais da misteriosa espécie “hobbit” são descobertos na Indonésia




Ossos e dentes de ancestrais dos “hobbits” – uma linhagem humana de baixa estatura – foram descobertos na ilha indonésia de Flores. Os fósseis, que datam de 700.000 anos, oferecem novos insights sobre a origem desta espécie misteriosa.

Em dois estudos publicados na revista Nature, pesquisadores da Universidade de Wollongong (Austrália) descrevem os fósseis de três hominídeos pequenos, que podem ser os ancestrais distantes do Homo floresiensis, uma espécie extinta de humano antigo popularmente conhecida como “hobbit”.

Os fósseis, que incluem uma mandíbula adulta e vários dentes, são os primeiros restos de esqueleto a serem descobertos na ilha indonésia de Flores fora de Liang Bua – a caverna em que paleoantropólogos descobriram os restos originais do hobbit.


Reconstrução do Homo floresiensis por Elisabeth Daynes. (Foto: Kinez Riza)

Os hobbits de verdade
Estes seres humanos antigos chamaram a atenção do mundo em 2003, quando os restos de um indivíduo adulto – que teria apenas 1 m de altura – foram descobertos na ilha Flores.

Desde então, outros nove espécimes foram recuperados, incluindo um crânio completo. Estes restos datam de entre 95.000 e 50.000 anos atrás, e pertencem a espécies diferentes de seres humanos antigos – uma delas é o Homo floresiensis.

Os cientistas especulam que eles eram baixos devido a algo chamado de “nanismo insular“, que acontece com animais isolados em pequenas ilhas com acesso limitado a alimentos. Este processo evolutivo fez com que os corpos e cérebros desses primeiros seres humanos encolhessem em tamanho, mas eles mantiveram sua capacidade de ficar em pé e usar ferramentas básicas de pedra.

A evolução que levou aos hobbits
A origem precisa desses humanos semelhantes ao hobbit permanece um mistério. Uma teoria é que estes indivíduos evoluíram a partir de uma população isolada de Homo erectus de grande porte, e encolheu ao longo do tempo.

A segunda teoria é que esses primeiros humanos eram descendentes de outro membro do nosso gênero, como o Homo habilis. Para complicar ainda mais as coisas, há a ideia de que eles não seriam uma espécie distinta: estes indivíduos estariam sofrendo de alguma doença congênita que causou a sua baixa estatura.


A mandíbula descoberta no local.

Com base em uma análise morfológica dos novos fósseis, agora parece que estes chamados hobbits eram de fato descendentes do Homo erectus. Cerca de um milhão de anos atrás, um grupo desses primeiros seres humanos ficou preso na ilha Flores. Então, ao longo dos próximos 300.000 anos, eles gradualmente diminuíram de tamanho, vivendo em savanas da ilha ao lado de elefantes, ratos e dragões-de-komodo, até seu desaparecimento misterioso há cerca de 50.000 anos.

Fósseis
Os novos fósseis foram descobertos por Gerrit van den Bergh e seus colegas em 2014, depois de os pesquisadores realizarem uma série de escavações de teste para identificar qual camada estratigráfica seria mais provável de conter os fósseis.

Os fósseis, que incluem um fragmento da mandíbula direita de um adulto e vários dentes, foram encontrados em camadas de rochas sedimentares num local chamado Mata Menge. Estes achados datam de meio milhão de anos antes de ossos descobertos na caverna Liang Bua, estendendo drasticamente o tempo dos hobbits em Flores.

Usando várias técnicas de datação, os pesquisadores dizem que os fósseis têm cerca de 700.000 anos de idade. A recente descoberta de ferramentas de pedra de um milhão de anos de idade mostra como eles moravam há ainda mais tempo na ilha.

“Esta descoberta tem implicações importantes para nosso entendimento da dispersão e evolução dos primeiros humanos nessa região, e resolve de uma vez por todas quaisquer dúvidas de que o Homo floresiensis seria apenas um humano moderno doente”, diz van den Bergh em um comunicado. “A diversidade humana era muito maior do que se acreditava.”

Curiosamente, o indivíduo adulto tinha cerca de dois terços o tamanho de hobbits posteriores, o que significa que estes antepassados tinham altura igual ou menor do que seus descendentes. Isso significa que esses seres humanos insulares chegaram a uma estatura pequena em apenas 300.000 anos. Isso pode parecer muito tempo, mas não é tanto assim em termos evolutivos. O processo de nanismo insular, ao que parece, funciona de forma rápida.

Como tudo começou?
Como um grupo de Homo erectus grandes chegou até a remota ilha Flores? Isso continua sem resposta. Esses primeiros seres humanos, que mal podiam forjar ferramentas de pedra sofisticadas, não poderiam ter tido a capacidade tecnológica para fazer barcos há quase um milhão de anos. (As evidências mais antigas dessa prática datam de 120.000 anos, já com o Homo sapiens.)

Van den Bergh diz que o Homo erectus pode ter sido levado para a ilha por um tsunami, onde permaneceu isolado – esta região é conhecida por atividade vulcânica e tectônica. De fato, o terremoto e o tsunami de 2004 no Oceano Índico levaram indivíduos para o mar por até 60 km – incluindo uma mulher que estava na sétima semana de gravidez, e que depois foi resgatada.

Outra possibilidade sobre esta linhagem recém-encontrada: não foi o H. erectus que ficou preso na ilha. Algum grupo imediato de ancestrais hominídeos teria chegado à ilha Flores pelo norte da Ásia, possivelmente através da ilha Sulawesi, também na Indonésia.



[Nature 1, 2]

FONTE: GIZMODO BRASIL


←  ANTERIOR PROXIMA → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

HORA CERTA SITE UNIVERSO

Total de visualizações

Participem Fan Page Facebook

Seguidores

PUBLICIDADE

Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas

VISITANTE ONLINE