quarta-feira, 27 de julho de 2016

Astrônomos descobrem rotação vertiginosa do halo da Via Láctea



A nossa Via Láctea e as suas pequenas companheiras estão rodeadas por um halo gigante com mais de um milhão de graus Celsius (visto aqui em azul) que é apenas visível com telescópios de raios-X no espaço. Astrônomos da Universidade de Michigan descobriram que este halo gigante e quente gira na mesma direção que a Via Láctea e a uma velocidade comparável.
Crédito: NASA/CXC/M. Weiss/Ohio State/A. Gupta et al.

Astrônomos da Faculdade de Literatura, Ciência e Artes da Universidade de Michigan, EUA, descobriram pela primeira vez que o gás quente no halo da Via Láctea gira na mesma direção e a velocidades comparáveis à do disco da Galáxia, que contém as nossas estrelas, planetas, gases e poeiras. Este novo conhecimento lança luz sobre como os átomos individuais se reuniram para formar estrelas, planetas e galáxias como a nossa, e o que o futuro reserva para estas galáxias.

"Isto voa na cara das expetativas," afirma Edmund Hodges-Kluck, cientista assistente da pesquisa. "As pessoas simplesmente assumiam que o disco da Via Láctea girava enquanto o gás quente era estacionário - mas isso está errado. Este reservatório de gás quente também gira, apenas não tão rapidamente quanto o disco."

A nova investigação, financiada pela NASA, usou dados de arquivo do XMM-Newton, da ESA e foi publicada recentemente na revista The Astrophysical Journal. O estudo foca-se no halo quente e gasoso da nossa Galáxia, que é várias vezes maior do que o disco da Via Láctea e composto por plasma ionizado.

Dado que o movimento produz uma mudança no comprimento de onda da luz, os cientistas mediram estes desvios no céu usando linhas do oxigênio muito quente. O que descobriram foi surpreendente: os desvios medidos pelos investigadores mostram que o halo da Galáxia gira na mesma direção que o disco da Via Láctea e a uma velocidade semelhante - 644.000 km/h para o halo vs. 869.000 km/h no disco.

"A rotação do halo quente é uma pista incrível da formação da Via Láctea," comenta Hodges Kluck. "Diz-nos que esta atmosfera quente é a fonte original de uma grande quantidade de matéria no disco."

Os cientistas há muito que se interrogavam do porquê de quase todas as galáxias, incluindo a Via Láctea, parecerem ter matéria em falta, matéria esta que seria de outra forma previsível de encontrar. Os astrônomos acreditam que 80% da matéria no Universo é a misteriosa "matéria escura" que, até agora, só pode ser detectada graças à sua força gravitacional. Mas até mesmo a maioria dos restantes 20% da matéria "normal" parece estar ausente dos discos galácticos. Mais recentemente, alguma da matéria "em falta" foi descoberta no halo. Os investigadores dizem que o conhecimento da direção e da velocidade de rotação do halo pode ajudar a aprender tanto como o material aí chegou em primeiro lugar, como a velocidade que podemos esperar para a matéria assentar na Galáxia.

"Agora que sabemos a rotação, os teóricos podem começar a usar estes dados para aprender como a nossa Via Láctea se formou - e o seu eventual destino final," afirma Joel Bregman, professor de astronomia da mesma faculdade.

"Nós podemos usar esta descoberta para aprender muito mais - a rotação deste halo quente será um grande tema para os espectrógrafos de raios-X do futuro," conclui Bregman.

FONTE: http://www.ccvalg.pt/


←  ANTERIOR PROXIMA → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

HORA CERTA SITE UNIVERSO

Total de visualizações

Participem Fan Page Facebook

Seguidores

PUBLICIDADE

Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas

VISITANTE ONLINE