sábado, 20 de agosto de 2016

Aparentemente há um exoplaneta parecido com a Terra a 5 anos-luz de distância




Rumores dão conta de que astrônomos do ESO (European Southern Observatory) descobriram um exoplaneta parecido com a Terra próximo à Proxima Centauri, nossa estrela vizinha mais próxima. Caso a notícia seja confirmada, esta pode ser uma das maiores descobertas do século.

A parte mais legal da possibilidade deste planeta existir é que conseguiremos visitar a Proxima Centauri em uma geração, graças à iniciativa do bilionário russo Yuri Milner.

O rumor foi primeiro noticiado em 12 de agosto pela revista alemã Der Spiegel. Citando fontes anônimas do observatório La Silla, que supostamente fazem parte da equipe que descobriu o exoplaneta. A revista diz que “acredita-se que o planeta é parecido com a Terra, orbita a uma distância próxima à Proxima Centauri, e pode ter água em sua superfície — um importante requisito para que haja vida.”

Questionado pelo Gizmodo, um porta-voz do ESO disse que não tem comentários a fazer sobre os rumores. De acordo com a fonte da Der Spiegel, o ESO fará um anúncio formal sobre o planeta no fim do mês. O Gizmodo recebeu uma confirmação de forma independente de que haveria um anúncio na próxima semana.

Proxima Centauri é uma pequena estrela anã vermelha localizada a 4,25 anos-luz de distância, bem mais próxima à Terra que a famosa estrela binária Alpha Centauri. Menor e mais fraca que nosso Sol, as anãs vermelhas correspondem a 80% das estrelas da Via Láctea, embora a gente não veja muitas delas quando olhamos para o céu à noite.

Missões recentes na busca de exoplanetas revelaram estes pequenos bulbos mal iluminados com formação rochosa e tamanho parecido com o da Terra em uma zona não tão quente e nem tão fria do universo, onde a água pode ser formada. Então, de certa maneira, a possível descoberta de uma segunda Terra na região da Proxima Centauri não é uma grande surpresa.

Por outro lado, a notícia é muito animadora. Por exemplo, este planeta se tornaria o primeiro na fila a ser explorado pelas próximas missões de pesquisa de exoplanetas, que devem começar com o lançamento do JWST (James Webb Space Telescope) em 2018. Com a capacidade sem precedentes deste telescópio poder observar as forças espaciais, astrônomos vão finalmente conseguir analisar pequenos sinais nas luzes das estrelas, conforme passa através da atmosfera de um planeta distante. Ao fazer isso, será possível decodificar a química atmosférica à distância, determinando, por exemplo, condições climática e se um planeta permite é habitável ou não.

O exoplaneta misterioso
Independente do que soubermos sobre este exoplaneta, será algo tremendo para entendermos melhor os sistemas de anãs vermelhas de modo geral, e a probabilidade de haver vida em nossa galáxia.

Além disso, há a possibilidade de poder visitá-lo. O que antes era algo apenas visto em filmes de ficção científica, agora pdoe ser possível graças à iniciativa de Stephen Hawking e o bilionário russo Yuri Milner, que propuseram recentemente a iniciativa Breakthrough Starshot. Milner vai investir US$ 100 milhões no desenvolvimento de nanonaves que poderão viajar a 20% da velocidade da luz, o que faria com que as primeiras nanonaves cheguem até o sistema Alpha Cantauri em 20 anos. Nós ainda estamos a um longo caminho para viabilizar essa viagem com nanonaves, porém a tecnologia que nos levará até lá já está à caminho.

Como seria a vida de um planeta que orbita a Proxima Centauri? A habitabilidade de anãs vermelhas tem sido assunto de debate e de especulação na ficção científica por décadas, com muitos astrônomos questionando a tese de que as estrelas podem ser zonas habitáveis. Como as anãs vermelhas são muito menos quente que o Sol, o conceito de zona habitável pode ser aplicado neste exoplaneta.

Em suma, o planeta em questão estaria em uma órbita estreita como a de Mercúrio com uma estrela vermelha dominando uma enorme fatia do céu. O planeta seria propenso a receber uma alta taxa de erupções solares, e poderia ter uma maré estável, resultando em uma parte que ficaria dia e a outra noite, além de algumas dinâmicas climáticas bem esquisitas.

Claro, não devemos viajar muito na maionese — o planeta, por enquanto, é só um rumor. Mesmo que exista, há ainda muito o que se estudar para entender como são as coisas na superfície dele. De qualquer forma, as perguntas que temos devem ser esclarecidas (pelo menos parcialmente) em breve.

[Der Spiegel via Universe Today]

Foto do topo: Imagem capturada pelo Hubble mostra a Proxima Centauri, uma das estrelas mais próximas da Terra. Crédito: Wikimedia

FONTE: GIZMODO BRASIL


←  ANTERIOR PROXIMA → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

HORA CERTA SITE UNIVERSO

Total de visualizações

Participem Fan Page Facebook

Seguidores

PUBLICIDADE

Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas

VISITANTE ONLINE