sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Caso Allagash




Em agosto de 1976, quatro amigos, na época estudantes de artes, estavam acampados em uma região isolada, em Eagle Lake, próxima ao Rio St. Francis, em Allagash, Maine, Estados Unidos. A fazenda mais próxima situava-se a 70 milhas de distância (48 Km, aproximadamente). O grupo era composto por Chuck Ray (guia), os gêmeos Jim e Jack Weiner e Charles Folz. Na segunda noite de acampamento todos avistaram um estranho objeto luminoso que sobrevoou a região. Mesmo com o auxílio de binóculos eles não conseguiram identificar o estranho objeto. No anoitecer do quarto dia, 26 de agosto, eles acenderam uma fogueira às margens do rio, para iluminar o acampamento à noite. Quando anoiteceu eles pegaram uma canoa e foram ao meio do lago. Aproximadamente 20 minutos depois ocorreu um fenômeno luminoso acima do lago. Chuck, de imediato, pensou tratar-se de gás do pântano. A luz estava a aproximadamente 200 metros deles e se apresentava como uma faixa que subia e descia emitindo cores vermelha e azul, que pulsavam. Não havia ruído e aparentemente estava sobre algumas árvores na margem do lago.

Todos permaneceram observando o estranho objeto. Charlie Folz apontou sua lanterna, piscando várias vezes para o objeto, que em resposta projetou um facho de luz azul, primeiro nas águas do lago e depois diretamente no grupo. Todos entraram em pânico, com exceção de Charlie que queria se aproximar do objeto que começou a aproximar-se da canoa. Em desespero começaram a remar em direção à borda do lago. O objeto, logo atrás deles começou a produzir estranhos efeitos luminosos. então algo estranho aconteceu. A lembrança que todos tinham era de que remavam desesperadamente e em seguida Chuck sentado calmamente na canoa e os outros três parados em pé na margem. O estranho objeto estava posicionado logo acima deles e logo acelerou desaparecendo em seguida. Eles sentiam-se muito cansados, atordoados e não conseguiam se mexer. Assim que recuperaram os movimentos dirigiram-se para o acampamento onde encontraram a fogueira em brasas. Eles então foram dormir.

No dia seguinte não comentaram o estranho episódio. Eles só voltaram a tocar no assunto bem mais tarde quando encontraram um guarda florestal contando-lhe a experiência. Este comentou que a luz era possivelmente gerada por outros pescadores e em função disso não deram mais atenção ao caso.

Doze anos depois, Jim sofreu um acidente que lhe deixou com algumas sequelas. Ele passou a sofrer de epilepsia sofrendo ataques ocasionais. Em 1983, ele começou um tratamento visando reduzir estes ataques e elevar sua qualidade de vida. Algum tempo depois começou a ter pesadelos recorrentes em que era protagonista de um sequestro por parte de tripulantes de um disco voador. Estes sonhos eram cada vez mais perturbadores, e Jim resolveu contá-los ao médico que estava tratando sua epilepsia. Este recomendou que Jim procurasse um grupo ufólogos que estava promovendo uma reunião em Boston. Ele aceitou o conselho e foi até o local onde conheceu o ufólogo Raymond Fowler.

Fowler ficou muito interessado no relato de Jim referente ao episódio em Allagash e em outros episódios estranhos em que esteve envolvido. Em um deles, Jim foi surpreendido por uma nevasca e devido à falta de visibilidade acabou caindo em um buraco profundo onde ficou por aproximadamente 5 horas. Ali ele viu dois seres, de aspecto estranho, encapuzados que permaneceram observando-o. Jim não se lembrava de maiores detalhes, apenas de que quando foi encontrado estava completamente seco.



Além de Jim, os outros três protagonistas tiveram o mesmo tipo de sonho perturbador. Os detalhes eram incrivelmente semelhantes e remetiam aos acontecimentos da noite de 26 de agosto de 1976.

Fowler conseguiu encontrar os quatro protagonistas do caso e convidou-os à passar por sessões de hipnose regressiva com o objetivo de descobrir o que realmente aconteceu naquela estranha noite. Todos aceitaram o convite e as sessões tiveram início em janeiro de 1989.

A Hipnose

A hipnose foi realizada em todos e obteve total êxito. As informações recordadas são absolutamente complementares entre si, ou seja, o que um relatou foi relatado por outro com detalhes complementares entre si. Todos descreveram a experiência a partir do momento em que observaram a estranha luz, passando pelo desespero em fugir do local até o momento em que estavam chegando à beira do lago. Ali, o facho luminoso do objeto focou-se sobre eles paralisando o grupo. Este mesmo raio luminoso sugou-os para dentro do objeto. Segundo o relato de Rak, ao olhar para cima ele observou o estranho facho de luz que parecia um túnel para o qual ele era atraído. Ele ouvia os gritos de seus amigos ficarem cada vez mais fracas enquanto subia. Ao fim do túnel encontrou uma espécie de barreira por onde passou e logo percebeu-se em uma sala circular onde seus amigos chegaram pouco depois. Nesta sala surgiram seres humanoides, de baixa estatura, cabeça grande, desproporcional ao corpo, com grandes olhos negros. Suas mãos possuíam 4 dedos. Estes seres inicialmente transmitiram, mentalmente, mensagens dizendo para eles cooperarem e que não seriam machucados. Eles sentiram-se paralisados sendo então despidos e examinados de forma dolorosa. Os humanoides coletaram amostras de tecido e materiais biológicos, além de inseriram sondas em seus corpos. Todos foram submetidos à um aparelho que era colocado sobre seus corpos quando deitados em uma mesa. O exame era realizado em um abduzido de cada vez, sendo que os outros três aguardavam sentados em um banco preso à parede da sala onde se encontravam.

Ouro tipo de exame foi realizado através de uma espécie de braço móvel, semelhante ao encontrado em consultórios odontológicos. Chuck Rak descreveu-o assim: "Parece com o que os dentistas usam: tem uma ponta comprida e articulações, podendo se movimentar e dobrar".

Após o término dos exames eles foram vestidos. e levados à uma câmara circular de cujas paredes saíam tubos estreitos, de coloração azulada. Um dos tripulantes manipulou um aparelho, em seguida uma porta se abriu e uma luz intensa tomou conta do ambiente. Todos caminharam até a porta e flutuaram até o local onde lembram-se terem visto o objeto acelerar e desaparecer. Dois humanoides posicionaram Chuck sentado dentro do barco.

Após o evento de agosto de 1976, Jack Weiner tornou-se obcecado por matemática e física, disciplinas que antes não tinha o menor interesse. Seu lado artístico também sofreu uma mudança, pois sempre girava em torno de buracos escuros. Também logo após a experiência ele descobriu um caroço na sua perna, que logo foi removido cirurgicamente. O médico não soube dizer o que era aquilo, e enviou o material a para exame. Cinco meses depois o médico disse à Jack que não foi possível identificar a natureza exata da amostra. Oito anos depois ele solicitou o relatório. A única resposta que conseguiu foi: "Você deveria ter pegado isso enquanto estava no exército. Eles não enviaram para o CDC, mas para o laboratório do DOD". Jack não esteve nas forças armadas, no entanto o relatório estava assinado por alguém da Força Aérea Americana.












FONTE: http://www.fenomenum.com.br/
http://cortex-visualis.tumblr.com/


←  ANTERIOR PROXIMA → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

HORA CERTA SITE UNIVERSO

Total de visualizações

Participem Fan Page Facebook

Seguidores

PUBLICIDADE

Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas

VISITANTE ONLINE