quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Cassini começa épico último ano em Saturno



Desde que a sonda Cassini da NASA chegou a Saturno, que a aparência do planeta mudou muito. Esta imagem mostra o hemisfério norte de Saturno, à medida que essa parte do planeta se aproxima do solstício de verão em maio de 2017.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Space Science Institute

Depois de mais de 12 anos a estudar Saturno, os seus anéis e luas, a sonda Cassini da NASA entrou no último ano da sua viagem épica. A conclusão da histórica odisseia científica está planeada para setembro de 2017, mas não sem antes de completar um ousado final de duas partes.

A partir do dia 30 de novembro, a órbita da Cassini irá enviar a nave espacial até para lá da orla externa dos anéis principais. Estas órbitas, uma série de 20, são chamadas órbitas anel-F. Durante estas órbitas semanais, a Cassini irá aproximar-se até 7800 km do centro do estreito anel-F, com a sua peculiar estrutura torcida e trançada.

"Durante as órbitas anel-F esperamos ver os anéis, juntamente com as pequenas luas e outras estruturas aí embebidas, como nunca antes," afirma Linda Spilker, cientista do projeto Cassini no JPL da NASA em Pasadena, no estado norte-americano da Califórnia. "A última vez que nos aproximámos tanto dos anéis foi durante a chegada a Saturno em 2004, e vimos apenas o seu lado iluminado. Agora temos dezenas de oportunidades para examinar a sua estrutura em ambos os lados e em altíssima resolução."

O Último Acto: Um Grande Final

A fase final da Cassini - chamada Grande Final - começa a sério em abril de 2017. Um voo rasante pela lua gigante de Saturno, Titã, irá remodelar a órbita da sonda de modo a passar através do espaço entre Saturno e os anéis - uma região inexplorada com apenas 2400 km de diâmetro. Espera-se que o orbitador complete 22 "mergulhos" nesta abertura, o seu primeiro tendo início no dia 27 de abril.

Durante o Grande Final, a Cassini vai fazer as observações mais próximas de sempre do "Senhor dos Anéis", mapeando o campo magnético e o campo gravitacional do planeta com extrema precisão e transmitindo imagens ultra íntimas da atmosfera. Os cientistas também esperam ganhar novas informações sobre a estrutura interior de Saturno, a duração precisa do dia saturniano e a massa total dos anéis - o que poderá finalmente ajudar a resolver a questão da sua idade. A sonda vai também analisar diretamente partículas do tamanho de poeira nos anéis principais e "provar" os limites exteriores da atmosfera de Saturno - novidades "fresquinhas" da missão.

"É como começar uma missão completamente nova," afirma Spilker. "O valor científico do anel-F e das órbitas do Grande Final é tão convincente que podíamos imaginar uma missão totalmente nova a Saturno, concebida em redor do que estamos prestes a fazer."

Entrando em Saturno, Literalmente

Desde o início de 2016 que os engenheiros da missão vêm aprimorando o percurso orbital da Cassini em redor de Saturno para posicionar a nave espacial para a fase final da missão. Colocaram a sonda numa série de "flybys" por Titã que estão, progressivamente, a levantar a inclinação da órbita da Cassini em relação ao equador e anéis de Saturno. Esta orientação particular permite com que a sonda "salte" sobre os anéis com uma única (e final) passagem rasante em abril, dando início ao Grande Final.

"Usamos a gravidade de Titã ao longo da missão para catapultar a Cassini em torno do sistema saturniano," comenta Earl Maize, gerente do projeto Cassini no JPL. "Agora, Titã presta mais uma vez uma ajudinha, fornecendo uma forma de colocar a Cassini em direção a estas regiões completamente inexploradas e tão próximas do planeta."

O Grande Final terá um desfecho dramático no dia 15 de setembro de 2017, quando a Cassini mergulhar na atmosfera de Saturno, enviando dados sobre a composição química do planeta até que o sinal se perca. A fricção com a atmosfera fará queimar a nave espacial tal como um meteoro pouco depois.

Para comemorar o início deste último ano e da aventura que tem pela frente, a equipa da Cassini divulgou um novo filme da rotação do planeta, juntamente com um mosaico colorido, ambos captados do alto do hemisfério norte de Saturno. O filme cobre 44 horas, ou pouco mais de 4 rotações planetárias.


A sonda Cassini tem registado números impressionantes nos 12 anos desde que chegou a Saturno no dia 1 de julho de 2004. Este infográfico fornece um instantâneo de apenas alguns dos grandes números da missão até ao dia 15 de setembro de 2016, a um do final da missão.
Crédito: NASA/JPL-Caltech

'Um Passeio Verdadeiramente Emocionante'

"Este é o tipo de imagem que a Cassini terá quando subir, repetidamente, acima das latitudes norte de Saturno, antes de mergulhar para lá das orlas exteriores - e mais tarde das interiores - dos anéis," realça Spilker.

O final da missão está a aproximar-se - a contagem decrescente do "Mergulho Final da Cassini" já está a decorrer no controlo da missão - mas uma fase extremamente importante da missão ainda está por vir.

"Podemos estar em contagem decrescente, mas ninguém deve contar a Cassini como morta," afirma Curt Niebur, cientista do programa Cassini na sede da NASA em Washington. "A jornada pela frente vai ser um passeio realmente emocionante."



FONTE: http://www.ccvalg.pt/


←  ANTERIOR PROXIMA → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

HORA CERTA SITE UNIVERSO

Total de visualizações

Participem Fan Page Facebook

Seguidores

PUBLICIDADE

Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas

VISITANTE ONLINE