sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Rachadura na Antártida ameaça estação britânica de pesquisa climática




A British Antarctic Survey (Pesquisa britânica na Antártida, em tradução livre) tem um problema em forma de uma enorme rachadura da camada de gelo no leste da Antártida. Dormente por quase 35 anos, a rachadura começou a crescer em 2012. Hoje, ela ameaça partir toda a plataforma de gelo que serve como base para a estação de pesquisa Halley VI. Agora, a Halley VI está sendo rebocada para outra área mais segura.

“Se [a rachadura] continuar a abrir e o gelo se romper, a estação estaria no lado errado da rachadura”, explicou Athena Dinar, uma porta-voz da British Antarctic Survey, ao Gizmodo quando questionada sobre a razão pela qual a estação metereológica está sendo movida a uma distância de 23 km para o interior. Se a rachadura fosse ignorada, a estação poderia ficar à deriva no mar.


Mapa mostra a localização atual da Halley VI, sua futura localização, e a rachadura (localizada no chasm 1 — abismo 1, em tradução literal)

Instalada em 2012 para estudar locais com temperaturas extremas e a camada de ozônio, a Halley VI está localizada na prateleira de gelo Brunt de 150 metros de espessura, uma região dinâmica de placa de gelo no leste da Antártida que flui em direção ao mar cerca de 0,4 km por ano. Neste local e em qualquer outro ao longo margens da Antártida, a migração lenta de geleiras empurra as placas de gelo em direção ao oceano aberto, quase como uma plataforma de mergulho em uma piscina. Eventualmente, um estresse acumulado faz com que essas placas de gelo quebrem e formem icebergues, em um processo conhecido como calving.

Felizmente, a British Antarctic Survey estava ciente dos perigos deste processo quando eles instalaram a Halley VI, que inclusive foi a estação de pesquisa que levou à descoberta do buraco da camada de ozônio. Logo, ela foi concebida para ser móvel. Cada um dos oito módulos da estação pode ser separado da composição e rebocado pelo gelo em tratores, o que é exatamente o que tem ocorrido agora que a Antártida está emergindo de meses de escuridão invernal.

Ao todo, o processo para mover a estação deve levar três anos.


Módulos da estação Halley

“A Halley foi concebida e desenvolvida para ser especificamente realocada em função das mudanças do gelo”, disse Tim Stockings, diretor de operação da British Antarctic Survey, em um comunicado. “Nos últimos anos, nossa equipe operacional tem sido meticulosa em desenvolver planos detalhados para movê-la e estamos animados com este desafio.”

Diferente da costa oeste da Antártida, onde o gelo tem derretido em um ritmo mais rápido por causa das mudanças climáticas, a plataforma de gelo Brunt, que fica no leste, ainda não passou por um aquecimento significante, e não tem mostrado sinais de que pode se partir nos últimos anos. A rachadura, ainda que seja ameaçadora, parecer ser perfeitamente natural.

[British Antarctic Survey]

Todas as fotos por British Antarctic Survey

FONTE: GIZMODO BRASIL


←  ANTERIOR PROXIMA → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

HORA CERTA SITE UNIVERSO

Total de visualizações

Participem Fan Page Facebook

Seguidores

PUBLICIDADE

Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas

VISITANTE ONLINE